4º dia “Classroom Management Solutions…” – Berlim

Iniciamos este 4º dia  por uma visita à “topographies des terrors” (topografia dos terrores). Este museu situa-se no terreno da antiga sede das polícias nazis e onde ainda existem os restos do Muro de Berlim. No museu pode ver-se como era a estrutura da SS, quem eram os líderes do partido, quem fez parte dos perseguidos – além dos judeus também os ciganos, homossexuais e pessoas com deficiência eram alvo da perseguição nazi. Pode ainda perceber-se como eram feitas as propagandas, verdadeiras armas utilizadas pelo partido para gerar histeria coletiva e passar por cima dos direitos essenciais.

O muro quando foi construído                                O muro agora

       

A construção do museu (atrás das árvores             Uma exposição no exterior do museu
lado esq. pode ver-se o muro)                                    (nas antigas caves da sede da SS)

         

Daqui seguimos para outro ponto de visita obrigatória Checkpoint Charlie – posto fronteiriço para os militares entre Berlim Oriental e Ocidental.

Checkpoint Charlie original (outubro de 1961, ano                        Checkpoint Charlie
de inicio da construção do Muro de Berlim)                                    recriação atual

              

Na 1ª sessão do dia abordamos 3 ferramentas que também podem contribuir para a metodologia “flipped classroom”:

  • Google Classroom – sistema de gestão de conteúdos para escolas que procuram simplificar a criação, a distribuição e a avaliação de trabalhos, sem papel. Gratuito, permite uma utilização individual direta. Para ser utilizado na escola, deverá ser utilizado em simultâneo com o G Suite for Education, que apesar de ser gratuito é necessário requisitar acesso à Google. É necessário a utilização de uma conta gmail;
  • Khan Academy –  ONG educacional criada e sustentada por Sal Khan. Com a missão de fornecer educação de alta qualidade para qualquer um, em qualquer lugar, oferece uma coleção grátis de vídeos de matemática, medicina e saúde, economia e finanças, física, química, biologia, ciência da computação, entre outras matérias, que podem ser utilizados como matéria de base para a metodologia em causa;
  • Padlet – ferramenta que permite a criação de murais com adição de links, imagens e arquivos. Pode incluir-se um texto em cada item criado no mural e criar uma configuração própria para visualizá-lo, ou aproveitar as que ferramenta disponibiliza. Pode, ainda, fazer-se uma versão em PDF do mural, que pode ser impresso.

Na 2ª sessão do dia, o trabalho consistiu na elaboração de um projeto de “flipped classroom” que enolvesse as disciplinas lecionadas pelos docentes do grupo recorresse às ferramentas apresentadas, todas ou só algumas, e outras que os docentes, eventualmente, conhecessem.

Sendo o grupo de trabalho constituído por um professor de Fisica, Michalis; uma professora de Inglês, Mariana; uma professora de Informática, eu; e uma professora de Francês, Antonía, decidimos criar o projeto “TESLA: back to the future”, onde os alunos deverão construir um Padlet com a biografia de Tesla, a descoberta cientifica do mesmo e a que é que hoje o nome é associado, em francês e inglês. A metodologia a utilizar será a “flipped classroom”, com os docentes a fornecerem os materiais necessários através da Google Classroom para que os alunos preparem em casa o trabalho a desenvolver nas aulas.

O projeto será concluído no próximo dia.

 

1 Comments

  1. Teresa Gandra

    A tecnologia é um mundo de oportunidades para todos: alunos e professores.
    Para que os professores a rentabilizem precisam de tempo para procurar, selecionar, organizar e finalmente utilizar.
    Depois deparam-se com uma barreira intransponível: a lentidão da internet.
    O nosso ME tem de perceber que as escolas precisam de investir na modernização de equipamentos e de serviços!

    Ana, tiveste muita sorte com este curso: foi culturalmente muito enriquecedor….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *